Opinião

O real valor do tempo vs relações

By Márcio Vaz (*)

Tempo é uma questão de prioridade e não há nada melhor do que reciprocidade. Por isso, não trate como prioridade quem trata você como segundo plano. Se valorize para que possam lhe valorizar. De vez em quando, seja uma pessoa escassa, pois vivemos do que nos falta. Por isso, às vezes, necessitamos da ausência, para desejar a presença, ou precisamos perder, para aprender a dar valor. Cultive o seu amor-próprio, porque a máxima Cristã já diz: “Amai ao próximo, como a SI mesmo”. Logo, quem não se ama, encontrará dificuldade para ser amada. Em outras palavras, quem NUNCA se prioriza, será raramente priorizada.

Porém, compreenda que, o Real Valor do tempo destinado ao próximo, nem sempre, está correlacionado à quantidade, mas sim, à qualidade. Porque, até podemos estar temporariamente priorizando e focados num projeto profissional, no entanto, o pouco tempo que dedicamos ao outro, pode ser intenso e prazeroso. Nesse sentido, podemos estar ausentes, mesmo estando presentes. A exemplo de uma pessoa que passa o dia dentro de casa, mas fica isolada, entretida ou presa à atividades que não incluem a interação com a família. Isto é, embora haja quantidade de tempo, não existe a menor qualidade ou aproveitamento desse momento. 

O contrário ocorre, com aquele que passa o dia fora a trabalhar, mas que, ao chegar em casa, volta a sua atenção aos seus familiares fazendo o pouco tempo valer uma eternidade. Por isso, não se sinta culpado(a) pela ausência necessária, nem tampouco use o seu distanciamento como razão para falta de atenção, pois o aproveitamento do tempo é algo relativo, o que faz com que o interesse e a intensidade vivenciada façam toda diferença.

Nesse sentido, o sentimento de abandono, negligência e solidão pode ser experienciado mesmo em comunhão, uma vez que a distância e a ausência enfrentam dilemas para além da presença física. Da mesma forma, o sentimento de “completude”, acolhimento e proteção pode estar presente, ainda que fisicamente ausente, quando o interesse e a atenção se manifestam através de uma ação, que pode ser uma mensagem ou ligação, assim como, a entrega de um mimo ou carinho, ao retornar, o que nos traz a sensação de que fomos lembrados e deixamos saudades.

Enfim, embora a arte de se relacionar não seja uma atividade fácil, tanto em casa, quanto no trabalho, ainda assim, invista constantemente na qualidade do tempo e do relacionamento para não deixar a liga ou a chama apagar. Para tanto, inove e se recicle sempre, pois o processo de criatividade é uma habilidade que se desenvolve por repetição. Ou seja, numa relação sólida e madura, não precisa economizar, pode colocar no mal costume MESMO, porque amor gera amor e reciprocidade ao longo do tempo. Logo, beije mais, abrace mais, elogie mais, ouça mais, presenteie mais etc. 

Agora, caso você não se sinta correspondido(a), abra uma DR e dialogue com o cônjuge, pois tem muita gente empurrando o casamento com a barriga, sem se dar conta que está a sabotar a sua felicidade. Pense nisso, e tente solucionar os seus dilemas e as diferenças, antes de dar um tempo, para quem não tem tempo para você. Caso encontre dificuldades, cogite a possibilidade de fazer terapia só ou de casal. Fico à disposição para contribuir.

Agora, caso você não se sinta correspondido(a), abra uma DR e dialogue com o cônjuge, pois tem muita gente empurrando o casamento com a barriga, sem se dar conta que está a sabotar a sua felicidade. Pense nisso, e tente solucionar os seus dilemas e as diferenças, antes de dar um tempo, para quem não tem tempo para você. Caso encontre dificuldades, cogite a possibilidade de fazer terapia só ou de casal. Fico à disposição para contribuir.


(*) Márcio Vaz é Palestrante, Psicólogo e Escritor (www.marciovaz.net)

Compartilhar

Deixe seu comentário